ūüáĶūüáĻ Por que os bancos est√£o falindo e como a Cardano pode ajudar?

Por que os bancos est√£o falindo e como a Cardano pode ajudar?

Publicado 15d10h20m atr√°s

Os computadores mudaram o mundo porque fomos capazes de escrever softwares mais eficientes. Os computadores automatizaram muitas tarefas que anteriormente eram realizadas por humanos, especialmente em áreas como contabilidade, ciências e outras áreas que envolvem grandes quantidades de processamento de dados. Em muitos setores, não nos importávamos e uma maior eficiência era vista como uma vantagem. A tecnologia agora está entrando em áreas onde estamos nos tornando mais vigilantes. Embora os bancos estejam usando software moderno e a Internet, agora é a hora em que a tecnologia pode dar o próximo passo e substituir outros processos de serviços financeiros. As tecnologias descentralizadas poderiam ser o próximo passo que muda fundamentalmente o setor financeiro? E que papel Cardano pode desempenhar nisso?

TLDR

Os bancos nunca falharam por causa de um bug de software. √Č hora de refletir se a descentraliza√ß√£o pode melhorar o funcionamento dos bancos. Certamente podemos escrever software melhor do que colocar pessoas respons√°veis e confi√°veis em posi√ß√Ķes-chave. At√© agora, a maioria das pessoas falhou conosco. O software n√£o pode fazer isso e faz exatamente o que foi programado para fazer. √Č hora de confiar mais no c√≥digo do que nas pessoas. Sempre precisaremos de pessoas para fazer avalia√ß√Ķes de risco ou recomenda√ß√Ķes de investimento. Portanto, precisamos procurar a conex√£o certa entre as pessoas e um banco descentralizado. A descentraliza√ß√£o pode resolver alguns dos problemas dos bancos e proteger melhor os ativos dos depositantes. Os contratos inteligentes podem formar uma parte fundamental do software banc√°rio e todos os ativos estar√£o no blockchain.

Quanto mais da torta a tecnologia pode dar uma mordida?

O desenvolvimento da tecnologia n√£o para e, logicamente, desempenha um papel cada vez mais importante em muitos processos. As pessoas est√£o em uma posi√ß√£o em que usam a tecnologia como uma ferramenta e desempenham uma esp√©cie de papel de supervis√£o. As pessoas ainda s√£o respons√°veis pelo desenho de processos, tomada de decis√Ķes, avalia√ß√£o de riscos, criatividade e busca de solu√ß√Ķes para problemas. Em geral, as pessoas estabelecem as regras e o software ajuda a obter maior efici√™ncia.

Uma das raz√Ķes pelas quais os bancos quebram √© a viola√ß√£o de regras e o abuso do cargo de CEO e administra√ß√£o. H√° tamb√©m baixa transpar√™ncia e suscetibilidade √† corrup√ß√£o. Alguns erros s√£o devidos a falhas humanas causadas por desaten√ß√£o ou falta de julgamento. Os erros acontecem devido √† complexidade do mundo de hoje, √† incapacidade de prever o futuro, √† pouca ou nenhuma responsabilidade pela tomada de decis√Ķes e ao desejo de crescimento sem fim.

Os bancos nunca falharam por causa de um bug de software. O software n√£o pode quebrar as regras e n√£o comete erros est√ļpidos. Os resultados s√£o sempre transparentes e iguais, mantendo as mesmas entradas. Fazemos software h√° v√°rias d√©cadas e sabemos como faz√™-lo relativamente bem. A quest√£o que surge √© se o software deve receber mais responsabilidade dentro do sistema banc√°rio.

A descentralização pode resolver algum problema atual? Esta é a questão-chave.

Blockchain é essencialmente uma rede distribuída e descentralizada que pertence à comunidade. As plataformas de contratos inteligentes permitem que você defina regras dentro dos aplicativos que não podem ser alteradas.

As principais caracter√≠sticas da tecnologia blockchain no contexto do artigo s√£o as seguintes. Descentraliza√ß√£o, transpar√™ncia, incorruptibilidade, imutabilidade das regras, abertura, possibilidade de possuir ativos digitais (autocust√≥dia) e justi√ßa. Isso √© √ļtil para os bancos e poderia ter evitado os problemas atuais?

Esta é uma questão muito complexa e depende de quanta imaginação você tem.

Poderíamos pensar em criptomoedas substituindo as moedas fiduciárias, mas receio que seja um sonho muito distante e não resolva o problema com os bancos. Vamos tentar imaginar algo mais realista.

Os bancos descentralizados operarão de maneira muito semelhante a hoje em termos de especialistas em gerenciamento e avaliação de risco. O que pode mudar fundamentalmente é a tecnologia na qual os ativos serão mantidos, a forma como as regras serão definidas e a forma como os clientes irão interagir com o banco. A equipe do banco será essencialmente programadores que escrevem contratos inteligentes.

Como pode ser um banco descentralizado?

Se os bancos come√ßassem a operar em uma moeda fiduci√°ria tokenizada (ou CBDC) e outros ativos tokenizados (a√ß√Ķes, t√≠tulos, d√≠vidas etc.), todos os fluxos financeiros poderiam ser 100% transparentes. Transpar√™ncia n√£o significa que todos no mundo tenham que ver todos os fluxos financeiros. Algumas transa√ß√Ķes podem ser privadas, mas o que pode permanecer transparente s√£o coisas como reservas banc√°rias, volumes de empr√©stimos, passivos, etc.

Por meio de contratos inteligentes, podem ser configurados processos que não podem ser alterados (ou podem ser alterados de forma transparente por meio de alguma forma de DAO). Se o banco se comprometesse a não usar reservas fracionárias e todos os empréstimos fossem 100% garantidos pelos ativos do banco, poderia ser criado um mecanismo que ninguém no banco pudesse enganar ou influenciar.

Os depositantes devem ter certeza de que nunca perder√£o seus dep√≥sitos porque, mesmo que o banco empreste seu dinheiro a terceiros, se o mutu√°rio n√£o pagar, o depositante receber√° seu dinheiro de volta dos ativos do banco. O banco ser√° respons√°vel por avaliar o risco e arcar√° com as consequ√™ncias de m√°s decis√Ķes.

Outra vantagem seria que os servi√ßos banc√°rios individuais poderiam ser estritamente segregados financeiramente. Empr√©stimos, seguros e poupan√ßa seriam servi√ßos separados e se um setor n√£o fosse bem, ou mesmo entrasse em colapso, isso n√£o afetaria os outros setores. Se o setor de empr√©stimos estivesse perdendo dinheiro, isso n√£o afetaria o setor de poupan√ßa. N√£o seria poss√≠vel para um banco usar os dep√≥sitos dos poupadores para empr√©stimos, ou para os poupadores perderem seus dep√≥sitos porque o banco quebra por causa dos empr√©stimos. Os dep√≥sitos dos poupadores devem ser investidos para crescer em valor ao longo do tempo. Atrav√©s de regras estritas, seria muito f√°cil definir em que condi√ß√Ķes e com que n√≠vel de risco os dep√≥sitos podem ser utilizados.

Um banco descentralizado será forçado a compartilhar os lucros de forma mais justa com seus clientes. O lucro será transparente e mais correlacionado ao nível de risco assumido pelo banco e pelos clientes do banco. Hoje, essa relação é desequilibrada. O banco fica com a maior parte do lucro, mas assume o risco mínimo. Os clientes assumem o risco, mas o banco que detém (e investe) seu dinheiro fica com a maior parte do lucro. Em um mundo descentralizado, as pessoas podem manter seu dinheiro sem um banco. Se o confiam a um banco descentralizado, é apenas se obtiverem lucro com isso.

Como ser√° a governan√ßa banc√°ria? A gest√£o pensar√° nos servi√ßos e estes ser√£o implementados atrav√©s de contratos inteligentes. Os usu√°rios do banco avaliar√£o servi√ßos individuais (contratos inteligentes) e escolher√£o aquele que mais lhes conv√©m. Novos servi√ßos podem surgir para ajudar os clientes a interpretar contratos inteligentes individuais. A intelig√™ncia artificial pode fazer isso. Todos os termos e condi√ß√Ķes do servi√ßo ser√£o vinculativos e imut√°veis. O banco ter√° uma equipe de especialistas respons√°veis pela avalia√ß√£o de riscos, investimentos, etc. Esses especialistas ter√£o apenas uma capacidade limitada de influenciar servi√ßos individuais.

Quando alguém pede um empréstimo a um banco descentralizado, o banco simplesmente estima o risco e define quanto está disposto a cobrir com capital próprio. Pode ser 100% (e o banco fica com uma parte adequada do lucro) ou menos (50%), e quem quiser emprestar o dinheiro pelo banco também pode arcar com parte da responsabilidade.

O lucro deve ser distribuído de forma justa. Mesmo que o banco cubra 100% do empréstimo, quem empresta o dinheiro tem direito a uma parte justa. Claro, o banco pode emprestar seu próprio dinheiro e ficar com todo o lucro. Mas se o banco usar os depósitos dos usuários, deve dividir o lucro. A transparência das contas e dos fluxos de caixa desempenhará um papel importante.

A principal funcionalidade do blockchain √© a autocust√≥dia. Quando as pessoas depositam dinheiro tokenizado no banco, elas recebem tokens que representam um pedido de reembolso. Em um banco descentralizado, por exemplo, o que acontece √© que, quando um usu√°rio deposita, uma parcela do capital do banco fica travada em benef√≠cio do depositante. Isso pode ser de 100% (idealmente) ou menos, dependendo do risco que o depositante deseja assumir. Se fosse 100% de cada vez, a quest√£o √© se √© vantajoso para o banco, j√° que o dep√≥sito n√£o aumenta o capital total do banco. Alternativamente, o depositante pode receber tokens que representam o direito aos lucros do banco em um horizonte de tempo mais longo ou direitos de decis√£o (em quest√Ķes-chave). Em outras palavras, o depositante se tornaria um investidor do banco com direitos de lucro.

O papel da Cardano no futuro dos bancos

A miss√£o da Cardano √© ser um banco para quem n√£o tem. A Cardano pode tokenizar moedas fiduci√°rias (o USDA ser√° uma stablecoin lastreada em USD) e at√© mesmo criar uma stablecoin algor√≠tmica com sobrecolateraliza√ß√£o. DJED √© um exemplo. √Č teoricamente poss√≠vel emitir a moeda de um pa√≠s em Cardano. O Blockchain j√° foi usado para esses fins, infelizmente, eram em sua maioria vers√Ķes privadas.

A estabilidade financeira √© um pr√©-requisito essencial para os servi√ßos banc√°rios. Al√©m disso, √© s√≥ uma quest√£o de definir as regras. √Č a√≠ que entram os contratos inteligentes. No que diz respeito aos dep√≥sitos no banco, isso pode ser feito por meio de contratos inteligentes, para que o depositante receba de volta tokens que representam a obriga√ß√£o do banco (o direito de receber seu dinheiro de volta). O dep√≥sito ser√° usado de acordo com regras claramente definidas que far√£o parte do contrato inteligente. Se a avalia√ß√£o de risco desempenhar um papel, essa ser√° apenas uma das entradas do contrato inteligente. O importante √© que o dep√≥sito n√£o possa ser utilizado indevidamente para outra finalidade que n√£o seja a finalidade a que se destina e que o depositante receba o lucro prometido.

Esses s√£o conceitos-chave e as implementa√ß√Ķes espec√≠ficas podem variar. Cardano √© uma plataforma para construir bancos descentralizados, o que quer que voc√™ pense desse termo. O Hydra Head j√° foi aberto na rede principal Cardano, portanto, a escalabilidade melhorar√° significativamente em um futuro pr√≥ximo. O Ouroboros Leios melhorar√° muito a escalabilidade da primeira camada.

Já é possível começar a construir os bancos descentralizados do futuro em Cardano. Se mais de 1% da população os estiver usando dentro de 5 a 10 anos, isso será uma base muito sólida para futuras mudanças na sociedade.

Cardano tem uma vantagem que pode ser crucial. Até agora, não houve hacks no DeFi e acontece que a plataforma Plutus possibilita a construção de aplicativos seguros. Se a Cardano mantiver esse status, será a solução ideal para serviços financeiros que exigem 100% de confiabilidade e segurança.

Conclus√£o

Ningu√©m sabe como ser√£o os bancos do futuro. A mudan√ßa n√£o diz respeito apenas √†s possibilidades tecnol√≥gicas, mas principalmente √† mudan√ßa de mentalidades e h√°bitos. As pessoas n√£o est√£o acostumadas com a autocuidado e t√™m medo dessa possibilidade. Mas o maior obst√°culo s√£o as leis, os regulamentos e o medo de os pol√≠ticos aceitarem os avan√ßos tecnol√≥gicos. A hist√≥ria √© a prova de que a tecnologia vai pegar mais cedo ou mais tarde. O banco que descrevemos √© apenas uma vis√£o, e as coisas podem ser muito diferentes. A tecnologia de IA est√° em ascens√£o e pode desempenhar um papel importante na avalia√ß√£o de risco e nas opera√ß√Ķes banc√°rias. As criptomoedas ser√£o uma alternativa para uma minoria da popula√ß√£o por muito tempo. No entanto, seria bom que surgissem bancos descentralizados, pois apenas um exemplo pr√°tico e uma boa experi√™ncia levariam a uma ado√ß√£o mais ampla. Os pa√≠ses em desenvolvimento impulsionar√£o a ado√ß√£o e muito provavelmente ultrapassar√£o os pa√≠ses desenvolvidos em termos de financiamento. Voc√™ est√° pronto para tomar um empr√©stimo do banco africano?

Você gostou deste artigo? Por favor, compartilhe, obrigado!