O que é a Cardano? Uma breve explicação para um infinito mundo de oportunidades

Em uma parceria com o canal do YouTube Simply Explained, o vídeo “Cardano - Simply Explained” que atingiu quase meio milhão de visualizações foi traduzido e transcrito para os lusófonos de todo o mundo :tada: :tada:. O link do vídeo-fonte está no rodapé do artigo para acompanhamento com imagens e leitura dinâmica para PCDs.

Há inúmeras cryptomoedas que você pode comprar agora, mas nós vimos uma delas chamada Cardano ganhando muita atenção nos últimos tempos. Porém, por que a Cardano ficou tão popular repentinamente? O que a faz ser tão especial quando é comparada a outras cryptomoedas?

Bom, é o que vamos descobrir a seguir…

A Cardano é uma nova plataforma de Cryptomoedas que foi lançada no mês de Setembro em 2017 depois de mais de 2 anos de desenvolvimento prévio. Ela é um pouco diferente de outros projetos de cryptomoedas porque foi construido com base em artigos científicos arbitrados. Então, ao invés de escreverem um artigo e transformá-lo diretamente em um código, o time da Cardano busca ter a certeza de que especialistas ao redor do mundo possam ler os seus artigos, melhorá-los e, por fim, concordarem com o resultado final. Esta é uma maneira muito diferente de se trabalhar!

A Cardano afirma ser o início da terceira geração de cryptomoedas. A primeira geração foi o Bitcoin e ele é como o “ouro” digital, sendo usado para transferir e guardar dinheiro virtual, mas está lotado de problemas de fluxo transacional em massa.

A segunda geração começou com a Ethereum e nos trouxe os “Smart Contracts”. Eles melhoraram o fluxo transacional, mas não o suficiente para que se tornasse uma moeda mundial.

A terceira geração quer juntar as duas anteriores e melhorá-las por completo. Neste momento, a Cardano e a IOTA são consideradas Blockchains de 3a geração. A cardano pretende resolver tres grandes problemas da atual geração:

  • Alto fluxo transacional;
  • Interoperabilidade
  • Sustentabilidade.

Vou explicar um pouquinho sobre cada um deles.

Alto Fluxo Transacional

Começarei pelo alto fluxo transacional, que por si só consiste outros três problemas que têm de serem resolvidos: transações por segundo, banda larga e armazenamento.

As transações por segundo são o mais óbvio: para que a cryptomoeda se torne um sistema de pagamento global, é necessário que tenha muitas transações por segundo. O sistema Ouroboros da Cardano resolveu isso ao adotar o sistema Proof-of-Stake ao invés do sistema Proof-of-Work.

Você provavelmente já sabe que o Bitcoin usa o algoritmo Proof-of-Work e permite a “mineração” de novos blocos. Esse processo é demorado e gasta muita energia elétrica e poder de hardware . A Cardano é infinitamente mais eficiente, não permite a mineração de novos blocos por todas as pessoas. Na verdade, a rede seleciona alguns “Nós” para minerarem os próximos blocos. Eles são chamados de “líderes” dos Slots.

Para que tudo isso funcione, a Cardano divide todos os tempos em “Épocas”. Uma Época é dividida em Slots, um curto período de tempo no qual um bloco pode ser criado. E então a rede seleciona um líder para cada Slot e apenas esta pessoa pode minerar o bloco.

Os líderes ficam atentos à novas transações, as averiguam e as alocam dentro de um bloco. Caso um líder não complete a sua tarefa a tempo, ou não apareça, ele perde o direito de produzir um bloco e deve esperar até ser reeleito para isso pela rede. Isso torna a Cardano altamente transacional, visto que aumentam o número de Slots por Época e podem executar múltiplas Época ao mesmo tempo.

O próximo problema do fluxo transacional é a banda larga da rede . As Blockchains estão alocadas em uma rede P2P e cada Nó nela recebe uma cópia de todas as novas transações. Mas imagine o que acontece quando há milhares de transações por segundo.

O Nó precisaria de muita banda larga para fazer o download contínuo de todas elas, algo não muito escalonável. Opondo-se a isto, a Cardano quer dividir a rede em “sub-redes” usando uma técnica chamada RINA (Arquitetura InterNetwork Recursiva). Cada Nó fará parte de uma sub-rede e poderá se comunicar com outras redes caso necessário, assim como o protocolo TCP/IP da Internet.

O problema final do fluxo transacional é o armazenamento de dados . As Blockchains guardam um comprovante de todas as transações que já ocorreram, mas como podemos lidar com esse

tamanho cada vez maior do banco?

O time da Cardano está pensando em implementar técnicas como: menores pré-requisitos do banco de dados da Blockchain, compressão dos arquivos e divisão de redes, porém eles não consideram isso uma prioridade no momento, porque memória para banco de dados ainda

é relativamente barata. Eles resolverão este problema no final de

2019, ou começo de 2019.

Interoperabilidade

O segundo grande problema é a interoperabilidade. Isto, novamente, consiste em dois problemas: primeiro de tudo, há muitas cryptomoedas por aí, mas elas não trabalham todas juntas e em segundo lugar, os bancos e governos (Estado) fogem de cryptomoedas. Portanto, o time da Cardano pressupõe que não haverá uma única que reja sobre as outras.

Ao invés disso, haverá diversas crypto coexistindo, cada uma com suas próprias regras e protocolo. Entretanto, elas ainda não se comunicam entre si. Você não pode transformar seus Bitcoins em Ethereum sem um intermediador (corretoras certificadas).

O projeto Cardano almeja se tornar a “Internet das Blockchains”, em outras palavras, uma Blockchain que pode entender o que acontece em outras Blockchains. Isso significaria a possibilidade de transacionar ativos entre diversas Chains sem esforços.

E depois vem o problema com os bancos e Estados. Eles se afastam das cryptomoedas por que

não aderem às leis ordinárias dos bancos. É difícil para que confiem em alguma transação no mundo das cryptomoedas, porque eles não possuem nenhum tipo de meta-dados sobre as transações. Eles gostam de saber quem fez a transação e por qual motivo a fizeram. Entretanto, essas são informações muito “sensíveis”, então a Cardano quer permitir atrelar os meta-dados a uma transação caso queira. Isso faria com que o mundo Crypto seja “bonzinho" com o mundo dos brancos. Mas ainda sim, seria de total controle do usuário a decidir se ele deseja isto ou não.

Sustentabilidade

O problema final que o time pretende resolver, é a sustentabilidade. Há muitas pessoas querendo abrir empresas envolvendo as cryptomoedas no momento e para arrecadar fundos para a sua oferta, eles lançam um ICO (Oferta de Moeda Inicial). Por fim, a equipe acaba ficando com muito dinheiro que pode ser usado para abrir a sua empresa por completo. Mas o que acontece se esse dinheiro acabar após alguns anos? Como eles terão a certeza de que o desenvolvimento de sua tecnologia continuará? O que eles devem fazer? Um novo ICO apenas para arrecadar mais fundos?

Estas são algumas perguntas que ainda não foram respondidas, mas está claro que arrecadar fundos apenas uma vez não é muito sustentável e também não promove um desenvolvimento contínuo do projeto de início. A Cardano pretende resolver este problema criando uma Tesouraria. A ideia é a de que a Tesouraria receberá uma pequena porcentagem de cada transação que acontece na rede. A Tesouraria em si é uma carteira especial que não é controlada por ninguém. Ao invés disso, é uma espécie de Smart Contract (literalmente um contrato inteligente, um facilitador) que pode liberar parte dos fundos aos desenvolvedores que desejam aprimorar o protocolo da Cardano. Mas para fazer isto, os desenvolvedores devem enviar uma proposta para a comunidade dizendo o que desejam mudar e a quantidade monetária necessária para isto. A partir disso, a comunidade pode votar nas ideias as quais eles acham que são as mais importantes dentre todas. Depois de um certo tempo, a Tesouraria seleciona as propostas mais votadas e as dá dinheiro o suficiente para que sejam desenvolvidas. Com o decorrer do tempo, o modelo da Tesouraria manterá a Cardano sustentável ao prover um fluxo corrente de dinheiro que pode ser usado para desenvolver a pesquisa e melhoria do sistema.

Até agora nós falamos de todas as coisas que o projeto Cardano pretende atingir e, como voce pôde ver, é bem ambicioso e talvez um pouquinho arriscado. Eles estão tentando resolver muitos problemas desafiadores, como por exemplo a Tesouraria. Ela depende de um sistema de votações para previnir que as pessoas tomem o controle de tudo. O projeto Cardano ainda é muito novo e ainda tem muito caminho pela frente, mas a maneira com a qual eles trabalham é muito diferente das outras cryptomoedas. Então o projeto Cardano pode ser o projeto que finalmente resolveria alguns problemas já de longa data e temas fundamentais.

Apenas o tempo nos dirá como vai ser.

Vídeo-fonte: Cardano - Simply Explained - YouTube

5 Likes

Esse video me convenceu sobre Cardano em inglês, ai assisti o white board to Charles e me apaixonei de vez pelo projeto