Mary Hard Fork: O que isto significará para a Cardano?

Tradução da fonte: The Mary hardfork — what will it mean for Cardano? | by Cardano Foundation | cardanorss | Feb, 2021 | Medium

Publicado por @ElliotHill da Cardano Foundation no dia 18 de Fevereiro de 2021.

Blog_Feb16

A Blockchain Cardano está preparada para entrar em uma fase de mudanças significativas ao final de Fevereiro. Pela primeira vez na história do nosso protocolo, os usuários poderão definir seus próprios tokens customizados através do livro-razão multi-ativo, o que adicionará uma nova camada de funcionalidades e utilidades para a Blockchain Cardano.

Isso será possível de acontecer através do Mary Hard Fork , um dos eventos mais importantes que ocorrerão na Blockchain Cardano desde a implementação da era-Shelley eno mês de Julho de 2020. Como parte de uma preparação mais extensa do Goguen, o Mary Hard Fork representa uma mudança racidal para a Cardano ao entregar os componentes muito esperados desta à comunidade.

Nomeado em homenagem ao homônimo da “mãe” do nosso token nativo principal (ADA), Mary Lovelace, o Mary Hard Fork, será facilitado por conta do Combinador de Hard Forks da IOHK. Isso lidará com uma transição impecável da Mainnet atual da Cardano para a Mary e, para o holder geral de ADAs, nenhuma ação do usuário será necessária.

Nós publicaremos um FAQ sobre o Mary Hard Fork de fácil utilização quando estivermos mais perto do período de aplicação da atualização. Aqui, neste texto, você descobrirá algumas coisas que notará com a chegada do Mary Hard Fork na Cardano e explorará o impacto em potencial dele no nosso ecossistema. Abaixo disso, nós observaremos qual o impacto que ele terá em nosso ecossistema e em nossa comunidade.

QUAL IMPACTO O MARY HARD FORK TERÁ NO ECOSSISTEMA CARDANO?

Nós sabemos que os Recursos Nativos e os tokens estão para chegar na Cardano, mas para o que eles podem ser usados? Assim como outras Blockchains, os tokens serão uma parte vital de diversas aplicações descentralizadas que serão implementadas (lançadas) na Cardano. Muito provavelmente tomarão as formas de:

  • Tokens de Utilidade;
  • Tokens de Gestão (governança);
  • Tokens representativos de recursos do mundo real.

Devemos lembrar o fato de que enquanto os Smart Contracts chegarão em pouco tempo – e constituirão uma parte importantíssima do nosso ecossistema – eles não são necessários para que um usuário crie um token nativo na Cardano e comece a usar seus ativos recém-criados.

Os recursos nativos podem ser usados para a cunhagem de tokens não-fungíveis, também chamados de NFTs, os quais podem ser usados para representar um grande variedade de recursos únicos do mundo real e digitais. Como por exemplo: um NFT pode ser cunhado, o que representa uma fração do patrimônio de participação em uma iniciativa a favor da biodiversidade florestal. Isso pode ser comercializado no intercâmbio dos ativos digitais e guardados por aqueles que procuram contrabalancear as suas pegadas de carbono através da Blockchain da Cardano.

Anternativamente a isto, um NFT nativo baseado na Cardano pode ser usado para criar um trabalho de arte digital único e guardado na Blockchain para sempre. Tais NFTs têm ganhado uma grande popularidade entre os entusiastas da Blockchain, tendo utilidade tanto em jogos on-line , quanto no mundo dos tokens colecionáveis.

Nós já havíamos explorado como as finanças descentralizadas seriam na Cardano e os tokens nativos também são um passo importantíssimo dessa jornada. Os tokens nativos que representam os Stablecoins , cryptomoedas tokenizadas e tokens de empréstimo de protocolo de utilidade serão instrumentos vitais para a introdução do DeFi na Cardano.

QUAL IMPACTO O MARY HARD FORK PODE TER NO RESTO DO MUNDO?

A adoção à Blockchain é acelerada, o que significa que novos usuários estão em constante entrada no nosso ecossistema. Nós tivemos muitas discussões sobre como poderíamos trazer usuários de economias emergentes para o ecossistema da Blockchain recentemente, especialmente aqueles do continente Africano.

Os tokens nativos, que ficarão disponíveis através do Mary Hard Fork, poderão ser uma das primeiras ferramentas na Cardano que podem ser adaptados às comunidades financeiramente carentes. Vamos imaginar que um token foi criado para representar um intercâmbio regional de valores para nações com moedas fiduciárias altamente inflacionárias. Tais tokens podem ser usados para pagar por serviços e produtos locais, sem que haja a necessidade do uso dos sistemas traducionais de escambo extremamente limitados.

O impacto e poder de tal moeda definida pelo seu utilizador pode ser a diferença para um fazendeiro subsistente elevar seu acesso ao mercado local através de um acesso mais simples a um capital que tenha liquidez. Pode ser também vital para empoderar um jovem artista em um pequeno vilarejo a criar a sua carreira profissional por conta de seu talento com sucesso através da venda de sua arte para uma audiência global pela plataforma dos tokens digitais.

Os tokens nativos podem também facilitar o pagamento de serviços de um lado ao outro do mundo para indivíduos que se encontram em economias emergentes. Estes tokens são atrelados às moedas fiduciárias como seus Stablecoins , assim como o Tether (USDT) e pode facilitar um freelancer da Venezuela, por exemplo, a aceitar um Stablecoin como o Dólar Estadunidense sem que tenha a necessidade de esperar pela burocracia extremamente longa dos bancos nacionais e ter a possibilidade de evitar a volatilidade extrema Bolivariana.

Ao dar a habilidade de criação de tokens definidos pelo usuário para TODOS os usuários na Cardano, o Mary Hard Fork abre as portas para uma enorme lista de novos recursos, estes sendo limitados apenas pela imaginação do usuário. Isto tem o potencial de empoderar aqueles em economias emergentes através da natureza acessível e sem limites dos tokens nativos da Cardano – enquanto alivia, simultaneamente, os pontos de pressão associados com os tokens definidos pelo usuário em protocolos já existentes em outras Blockchains.

QUAIS RECURSOS O MARY HARD FORK OFERECERÁ?

A parte mais importante do Mary Hard Fork será a transição da Cardano partindo de um livro-razão capaz de carregar apenas um ativo (ADA), para um livro-razão multi-ativos. Isto introduzirá o suporte para inúmeros tokens definidos por usuários na Cardano.

Mas como isto será na pratica?

Para resumir, isto significa que você começará a notar novos ativos sendo intercambiados na Blockchain da Cardano. Assim como os tokens ERC-20 que podem ser criados e transacionados na rede Ethereum, os tokens nativos terão funcionalidades similares, , porém com algumas diferenças fundamentais e alguns aprimoramentos, para a rede Cardano.

Alguns dos componentes requeridos para criar os tokens nativos na rede Cardano já chegaram no Hard Fork anterior, o Allegra . Isso incluiu o saque, a queima, o envio de tokens, a escrita do script da política monetária e a cunhagem de novos tokens.

Agora, através do Mary Hard Fork, essa integração finalmente será finalizada e a Interface de Prograçamão de Aplicações (API) da Cardano chamada Rosetta será atualizada para uma interface com suporte para multi-ativos. Nossa parceira de engenharia, a IOHK, publicou recentemente um artigo que mergulha em uma camada mais profunda em alguns aspectos técnicos do Mary Hard Fork.

Nós esperamos que o Mary Hard Fork seja um evento histórico para a Blockchain da Cardano. Agora, isso resta a você. Os tokens nativos da Cardano são definidos pelo usuário, isto significa que a nossa comunidade recebeu carta branca para liberar a própria criatividade e o empreendedorismo quando forem implementar os seus tokens.

O que você criará? Você lançará um NFT? Criará um token de utilidade para uma ideia única para um Dapp? Explorará as possibilidades na DeFi? Resta apenas à você.

11 Likes

Boa! Obrigado. É muito útil.

3 Likes