Desvendando os Mitos por Trás das Nomenclaturas da Cardano

Publicado por Undersearcher no dia 11 de Novembro de 2018.
cardano geral

Já se perguntou por que o ticker da criptomoeda da Cardano se chama ‘ADA’, ou por que as suas carteiras foram nomeadas desta maneira em homenagem às mitologias Gregas? Por que o projeto tem este nome e quem são todas as pessoas mencionadas nos roteiro de implementações da Cardano? Este artigo lhe apresentará uma visão geral sobre isto e também alguns links para uma leitura mais aprofundada.

→ Gerolamo Cardano

Gerolamo Cardano (1501-1576) foi um matemático, físico, biólogo, médico, químico, astrólogo, filósofo, escritor e apostador Italiano. Escreveu durante a sua vida mais de 200 trabalhos científicos e foi uma das figuras principais no campo da Probabilidade Matemática durante a Renascença.

gerolamo

Para um projeto de criptomoeda que procura utilizar métodos científicos extremamente rigorosos baseados em provas matemáticas e na teoria dos jogos, buscando construir uma forma altamente flexível e interoperável de dinheiro programável, adotar o nome deste polímata os pareceu muito apropriado.

Portanto, o ecossistema da Cardano é nomeado em homenagem a Gerolamo Cardano, mas por que o seu ticker se chama “ADA”?

→ Ada Lovelace

Ada Lovelace (1815-1852) foi uma matemática e escritora Inglesa que é muito conhecida por ser a primeira pessoa a reconhecer que os computadores poderiam ser usados para algo além de cálculos. A Lovelace escreveu o primeiro algoritmo utilizado em um computador, tornando-a assim a primeira programadora da história.

Algumas pessoas podem argumentar que, sem a visão de Ada Lovelace, os computadores que conhecemos hoje nem existiriam. Para honrá-la, os criadores do ecossistema Cardano decidiram nomear o ticker da sua criptomoeda de ADA. A sua menor subunidade (0.000001 ADA) é chamada de Lovelace, similarmente a como a menor subunidade do Bitcoin (0.00000001 BTC) é chamada de Satoshi.

Não é nenhuma coincidência que o primeiro estágio do roteiro de implementações da Cardano que incluía o “nascimento” da criptomoeda ADA (no seu lançamento na Main-net em setembro de 2017) recebeu o seu nome em homenagem ao pai de Ada Lovelace, Lorde Byron. Quem era ele?

→ Lorde Byron

George Gordon Byron (1788/1824), Inglês, o 6° Barão da família Byron, foi um poeta, político, nobre e uma das figuras principais no movimento Romântico literário. Uma de suas obras mais conhecidas era Don Juan, um poema satírico extremamente longo, no qual Byron representou Juan como sendo um homem facilmente seduzido por mulheres, revertendo assim a lenda de Don Juan: o mulherengo.

Byron era muito de Percy Busshe Shelley, um colega de profissão. A segunda fase do roteiro de implementações da Cardano recebeu seu nome através de sua esposa, Mary Shelley. O lançamento Shelley representa a evolução do sistema do período para um sistema autônomo e descentralizado. Mas o que a Mary Shelley tem a ver com tudo isso?

→ Mary Shelley

Mary Shelley (1797-1851) foi uma escritora Inglesa muito conhecida por sua obra Frankenstein , um livro sobre um cientista que cria uma criatura parecida com um humana após um experimento incomum. Este livro foi o resultado de uma aposta entre ela, Percy Busshe Shelley e Lorde Byron sobre quem seria capaz de escrever a melhor história de terror. Primeiramente o livro foi publicado como um anonimato e teve uma grande influência na literatura e cultura populares.

Apesar do ecossistema Cardano não se encaixar em histórias de terror, o fato de que se tornará um sistema completamente autônomo pode ser comparado ao trabalho de Shelley. Após ela, os nomes do roteiro tomam uma reviravolta, já que a terceira fase de implementações foca-se nos Smart Contracts e é nomeada em homenagem a Joseph Goguen.

goguen

→ Joseph Goguen

Joseph Goguen (1941-2006) foi um cientista da computação Estadunidense, professor na Universidade da Califórnia e Oxford e pesquisador da IBM e SRI International. Seu trabalho era focado em semântica algébrica e verificação formal.

O trabalho de Goguen inspirou Grigore Rosu (imagem abaixo), um professor de Ciência da Computação na Universidade de Illinois e CEO da empresa Runtime Verification, a desenvolver o Enquadramento K .

rosu

O Enquadramento K é usado para a verificação formal do código dos Smart Contracts, assim sendo automaticamente checados por falhas para a prevenção de perdas catastróficas, como o hack DAO que ocorreu em 2016 na rede Ethereum. Por diversas linguagens de programação serem definidas em K, os Smart Contracts podem ser escritos nas mais populares delas, enquanto são automaticamente verificados após a implementação Goguen da Cardano, tornando-os assim altamente flexíveis e seguros.

Após a descentralização da Cardano na implementação Shelley e a funcionalidade dos Smart Contracts na fase Goguen, a fase Bashō focará em tornar a Cardano o mais eficiente o possível, desta maneira aumentando o seu fluxo transacional.

basho

→ Matsuo Bashō

Matsuo Bashō foi um famoso poeta Japonês que era majoritariamente reconhecido por escrever grandiosos Haiku, uma forma de poesia Japonesa muito curta que contém apenas três frases. Por exemplo, o poema O Velho Lago de Bashō é considerado o Haiku Japonês mais conhecido existente. Pode ser traduzido da seguinte maneira:

Velho lago.
Uma rã salta.
Barulho de água.

Para apreciar a incrivelmente maravilhosa e eficiente poesia de Bashō, a 4ª fase da Cardano, que espera adotar estas mesmas características para o aumento do seu fluxo transacional, teve seu nome dado através dele.

Após Bashō, a 5ª e última fase de implementações focará em tornar a Cardano sustentável, implementando um modelo visionário de Tesouro (tesouraria) e gestão On-chain.

→ Voltaire

François-Marie Arouet (1694-1778), também conhecido como Voltaire, foi um escritor, filósofo e historiador Francês de grande influência durante o Iluminismo (Século das Luzes). As ideias do movimento iluminista salientavam a autoridade da monarquia e da Igreja e pavimentaram o caminho para as revoluções políticas durante os séculos XVIII e XIX (18 e 19). O Iluminismo também foi marcado como uma ênfase no crescimento a adoção da razão e dos métodos científicos em todos os processos existentes.

Devido às similaridades com a visão de Voltaire, a 5ª fase da Cardano, que também utilizará a Democracia Líquida, foi nomeada em homenagem a ele.

Além da governança, um dos aspectos cruciais de uma Blockchain é o seu mecanismo de consenso: as regras usadas para determinar qual versão da Blockchain é a versão correta. Para a Cardano, a IOHK (Input Output Hong Kong) colaborou com o professor Kayias Aggelos para desenvolver um novo mecanismo de consenso chamado de Ouroboros (tradução em Português).

ouroboros

→ Ouroboros

O símbolo do Ouroboros é uma serpente ou dragão engolindo a própria cauda. Apesar do termo Ouroboros ter derivado da língua Grega Antiga οὐροβόρος, a sua primeira aparição foi em um texto do Egito Antigo de mais ou menos 1400 a.C. O motivo pelo qual ele se relaciona à Cardano é a natureza cíclica do mecanismo de consenso.

A primeira versão deste mecanismo foi chamada apenas de Ouroboros, mas é constantemente referido a Ouroboros Classic, já que agora possui novas versões. A segunda versão utilizou um método um pouco diferente (Funções de Variáveis Aleatórias, FVAs) para gerar uma aleatoriedade para o protocolo e foi chamada de Ouroboros Praos (“Praos” é a palavra Grega Antiga para “gentil”, “leve”). A terceira versão é chamada de Ouroboros Genesis (“Genesis” é a palavra Grega Antiga para “o começo”), porque permite que novos usuários adentrem na Blockchain para inicializarem do bloco Gênesis (o primeiro bloco de uma Blockchain). A quarta versão focará em Sharding, uma forma de fragmentação horizontal de uma data-base que ajuda para a distribuição da carga. Por conta da sua natureza multifacetada, a quarta versão é chamada de Ouroboros Hydra em homenagem a uma serpente marinha com diversas cabeças da mitologia Greco-Romana.

E por último, mas não menos importante, há mais dois mitos Gregos nos quais a Cardano se baseou e são muito bacanas de se compartilhar.

daedalus
Foto. Daedalus, o Minotauro, e o Labirinto.

→ Daedalus

Na mitologia Grega, Daedalus era um artesão muito habilidoso, inovador e artístico. Ele foi mencionado pela primeira vez no famoso livro Ilíada e a Odisseia de Homero. Na ilha Grega de Creta, Daedalus foi empregado pelo rei Minos e desenvolveu um labirinto, no qual o Minotauro, uma criatura metade homem, metade touro, foi preso.

Na Cardano, a sua carteira oficial é chamada de Daedalus, tendo como sua logo um Minotauro e um Labirinto em sua cabeça, referindo-se assim à complexidade dos protocolos criptográficos utilizados. Além da Daedalus, a IOHK, a empresa desenvolvedora da Cardano, também criou um protótipo de código-fonte aberto para uma carteira leve que pode ser utilizada por desenvolvedores para fazerem as suas próprias implementações. Esta carteira foi chamada de Icarus, assim como o filho de Daedalus.

icarus
Foto. Daedalus e Icarus.

→ Icarus

Finalmente, na antiga história Grega de Homero mencionada anteriormente, Daedalus e seu filho Icarus tentaram fugir da Ilha de Creta com dois pares de asas construídos por Daedalus utilizando penas e cera. Nesta história, Daedalus avisa Icarus sobre seu comodismo e arrogância, pedindo que seu filho não voe nem muito alto, nem muito baixo, já que a umidade do mar poderia estragar as asas e o sol poderia derreter a cera. Entretanto, Icarus ignorou as instruções de seu pai e voou muito perto do sol, derretendo assim a cera de suas asas e afogando-se no mar após cair do céu.

Na Cardano, o protótipo da carteira leve Icarus foi utilizada pela EMURGO para o desenvolvimento da Yoroi (Japonês para “armadura”), uma carteira leve em formato de extensão do navegador Chrome.

Tradução da fonte: Unraveling the Myths of Cardano’s Nomenclature | Hacker Noon